Carta a STV sobre ressurreição

Conforme já dito anteriormente, alguns assuntos começaram a me incomodar com relação aos ensinamentos do Corpo Governante. Um deles era com respeito à ressurreição. Eu não enxergava (e nem enxergo) na Bíblia nenhum texto que apoie que os ressuscitados da não se casariam, ou não seriam dados em casamento. Este ensinamento dado por Jesus era apenas para os da classe dos ungidos e nunca para os da Grande Multidão. Tendo falado sobre este assunto com os anciãos da minha congregação, fui orientado a falar com o Superitendente de Circuito que, sem saber o que me dizer, me mandou falar com Betel. Foi o que eu fiz, mas antes, fui orientado a escrever uma carta. Segue abaixo a carta que eu enviei a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados com respeito à ressurreição Na época, sem saber o que me dizer, a única explicação que me deram foi: “Vamos acreditar em Jeová e no seu Corpo Governante. Se o Corpo Governante diz que os mortos não se casarão nem serão dados em casamento, eles devem saber o que falam, o irmão não concorda? Lembremos que a organização de Jeová é perfeita!” 24 anos depois eles respondem a uma pergunta dos leitores mudando tudo, com outra explicação, dizendo que isso é um novo entendimento. Confesso que, para quem diz compreender tão bem a Bíblia, minhas conclusões eram (e continuam sendo) muito simples e óbvias e eles jamais poderiam se enganar com assuntos tão básicos e que afetam tantas pessoas, principalmente por posarem de detentores da verdade de terem uma relação íntima com o Criador, de serem seu povo e de serem...

Indo além do que está escrito

Lemos em I Corintios: 4:6 “Não vades além das coisas que estão escritas”, a fim de que não fiqueis individualmente enfunados a favor de um contra o outro. E em Mateus 15:1-9 lemos: Chegaram-se então a Jesus alguns fariseus e escribas, de Jerusalém, dizendo: 2 “Por que infringem os teus discípulos a tradição dos homens dos tempos anteriores? Por exemplo, não lavam as mãos quando estão para tomar uma refeição.” 3 Em resposta, disse-lhes: “Por que é também que vós infringis o mandamento de Deus por causa da vossa tradição? 4 Por exemplo, Deus disse: ‘Honra a teu pai e a tua mãe’; e: ‘Quem injuriar pai ou mãe, acabe na morte.’ 5 Mas vós dizeis: ‘Quem disser ao seu pai ou à sua mãe: “Tudo o que eu tenho, que da minha parte te poderia ser de proveito, é uma dádiva dedicada a Deus”, 6 este absolutamente não deve mais honrar a seu pai.’ E assim invalidastes a palavra de Deus por causa da vossa tradição. 7 Hipócritas! Isaías profetizou aptamente a vosso respeito, quando disse: 8 ‘Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está muito longe de mim. 9 É em vão que persistem em adorar-me, porque ensinam por doutrinas os mandados de homens.’” Em ambos os textos em alguns outros, a Bíblia exorta o perigo de ir além do que está escrito e como isto é detestável, ou seja, transformar em lei de Deus, as leis dos homens. Lembro por exemplo um costume fariseus que orientava que se lavassem os braços até os cotovelos, antes das refeições. Note que isso era totalmente coerente...

Culpa de Sangue

Raciocinando sobre mais um dos pontos que incomodam nas Testemunhas de Jeová, no livro Poderá Viver para Sempre, no capítulo 3 “A religião a que você pertence realmente faz diferença” fala-se sobre a culpa de sangue da igreja católica por ter se envolvido nas grandes guerras mundiais. Veja o que alguns parágrafos dizem: 7 – “É provável que concorde que muitas coisas feitas no nome da religião não são aprovadas por Deus.” 9 – “Por causa dos crimes cometidos em nome de Deus, pelos membros de muitas religiões diferentes, no decorrer da história, milhões de pessoas hoje se desviaram de Deus e de Cristo.” 10 – “Sem dúvida, hoje se fazem muitas coisas em nome da religião, que você não acha serem direitas.” Por conta de todas as mortes que aconteceram graças a ignorância das religiões, a Sentinela de 15/11/95, no artigo: Permaneça na “cidade de refúgio” e continue vivo!, no parágrafo 4, diz: “Na realidade, cabe-lhe a maior parte da culpa pela morte de milhões de pessoas nas duas guerras mundiais deste século. Portanto, os adeptos da religião falsa, bem como os apoiadores e os participantes das guerras humanas têm culpa de sangue perante Deus.” No entanto hoje a igreja reconhece o seu erro e pede desculpas publicamente por ter apoiado estas e outras ações. Mas será que este reconhecimento do erro a isenta da culpa de sangue? Talvez diga que não, se for uma Testemunha de Jeová. No entanto, como vimos, as Testemunhas de Jeová apontam enfaticamente a culpa de sangue da igreja católica, mas será que elas mesmo também não tem culpa de sangue por decisões e...

Falso Profeta

Em Deuteronomio 18:20-22, lemos: “‘No entanto, o profeta que presumir de falar em meu nome alguma palavra que não lhe mandei falar ou que falar em nome de outros deuses, tal profeta terá de morrer. E caso digas no teu coração: “Como saberemos qual a palavra que Jeová não falou?” quando o profeta falar em nome de Jeová e a palavra não suceder nem se cumprir, esta é a palavra que Jeová não falou. O profeta proferiu-a presunçosamente. Não deves ficar amedrontado por causa dele.’ Veja bem o que está escrito neste texto: “…. quando o profeta falar em nome de Jeová e a palavra não suceder nem se cumprir, esta é a palavra que Jeová não falou. O profeta proferiu-a presunçosamente.” Mediante isto, eu pergunto: Quantas vezes o Corpo Governante já errou? Adorou cruz; Comemorou Natal; Proibiu o uso de Vacina; Dentre inúmeras outras coisas. Quantas vezes o Corpo Governante profetizou algo que não aconteceu? Como o fim do sistema de coisas em: 1914; 1933; 1975 (veja mais detalhes em: http://www.fuitj.com/testemunhas-de-jeova-e-a-profecia-do-fim-do-mundo-em-1975) 2000; Como fica este texto de Deuteronônimo para o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová? O Corpo Governante falava em nome de Jeová? Se me responder que sim, então há de concordar comigo que ele é um falso profeta, pois as profecias não se cumpriram. Mas, se preferir responder que não, então eu te pergunto porque você o toma como quem fala em nome de Jeová? Gostaria da sua opinião sobre este ponto para iniciarmos nossa...

Examine a sua religião

Começo este post recordando um dos capítulos do livro “A Verdade que conduz à vida Eterna”: “Por Que É Sábio que Examine Sua Religião” Posteriormente, o livro “Poderá Viver Para Sempre num Paraíso na Terra”, chamou o capítulo 3 de: “A Religião que você pertence realmente faz diferença”. Neste último, no parágrafo 19 e 20, lemos: “A verdade não admite a existência de todas as espécies divergentes de doutrinas religiosas no mundo. Por exemplo, ou os humanos têm uma alma que sobrevive à morte do corpo, ou não têm. Ou a terra existirá para sempre, ou não. Ou Deus acabará com a iniqüidade, ou não. Essas e muitas outras crenças ou são certas, ou são erradas. Não pode haver duas verdades, quando uma não concorda com a outra. Ou uma ou a outra é verdadeira, mas não ambas. Crer sinceramente em alguma coisa e praticá-la não a torna certa, se realmente for errada. Qual deve ser sua reação caso se lhe apresente prova de que aquilo em que crê é errado? Por exemplo, digamos que esteja viajando de carro pela primeira vez para certo lugar. Você tem um mapa rodoviário, mas não tomou o tempo para verificá-lo bem. Alguém lhe disse qual a estrada que devia tomar. Você confiou nele, crendo sinceramente que lhe indicou o caminho certo. Mas, suponhamos que não o seja. O que faria se alguém lhe apontasse o erro? O que faria se este, recorrendo ao mapa que você mesmo tem, lhe mostrasse que tomou a estrada errada? Será que o orgulho ou a obstinação lhe impediriam admitir que está na estrada errada? Pois bem, se ficar...