Culpa de Sangue

Raciocinando sobre mais um dos pontos que incomodam nas Testemunhas de Jeová, no livro Poderá Viver para Sempre, no capítulo 3 “A religião a que você pertence realmente faz diferença” fala-se sobre a culpa de sangue da igreja católica por ter se envolvido nas grandes guerras mundiais. Veja o que alguns parágrafos dizem:
7 – “É provável que concorde que muitas coisas feitas no nome da religião não são aprovadas por Deus.”

9 – “Por causa dos crimes cometidos em nome de Deus, pelos membros de muitas religiões diferentes, no decorrer da história, milhões de pessoas hoje se desviaram de Deus e de Cristo.”

10 – “Sem dúvida, hoje se fazem muitas coisas em nome da religião, que você não acha serem direitas.”

Por conta de todas as mortes que aconteceram graças a ignorância das religiões, a Sentinela de 15/11/95, no artigo: Permaneça na “cidade de refúgio” e continue vivo!, no parágrafo 4, diz: “Na realidade, cabe-lhe a maior parte da culpa pela morte de milhões de pessoas nas duas guerras mundiais deste século. Portanto, os adeptos da religião falsa, bem como os apoiadores e os participantes das guerras humanas têm culpa de sangue perante Deus.”

No entanto hoje a igreja reconhece o seu erro e pede desculpas publicamente por ter apoiado estas e outras ações.

Mas será que este reconhecimento do erro a isenta da culpa de sangue? Talvez diga que não, se for uma Testemunha de Jeová.

No entanto, como vimos, as Testemunhas de Jeová apontam enfaticamente a culpa de sangue da igreja católica, mas será que elas mesmo também não tem culpa de sangue por decisões e orientações do passado?

O que elas tem a dizer sobre o período que proibiram as vacinas? Veja o que uma das publicações da Torre disse naquela época: “A vacinação é uma violação direta do pacto eterno que Deus fez com Noé após o dilúvio”. – A Idade de Ouro de 4/2/1931, pág. 293 (em inglês) “Pessoas ponderadas prefeririam ter varíola em vez de serem vacinadas, porque as vacinas propagam as sementes da sífilis, cancros, eczema, erisipelas, scrofula, tuberculose, até a lepra e muitas outras doenças nojentas. Portanto, a prática da vacinação é um crime, um ultraje, e um engano.” – A Idade de Ouro de1/5/1929, pág. 502 (em inglês) “As vacinas nunca salvaram uma vida humana. Não previnem a varíola. – A Idade de Ouro de 4/2/1931, pág. 294 (em inglês) Dentre muitas outras citações…

Mas depois mudaram, veja o que foi escrito na Sentinela 01 de fevereiro de 1959, págs. 95 e 96: – Perguntas dos leitores –

Pergunta:
“Devemos considerar a injeção de soros … e frações do sangue, tais como a gama globulina… como o mesmo que beber sangue ou tomar sangue ou plasma de sangue por meio de transfusão?”
Resposta:
“Não, não parece necessário classificarmos as duas coisas na mesma categoria… Toda vez que se menciona a proibição de sangue nas escrituras é com relação a tomá-lo como alimento, e assim, é como nutriente que nos interessa a sua proibição… A injeção de anticorpos no sangue tendo como veículo o soro de sangue ou o uso de frações de sangue para criar tais anticorpos não é o mesmo que tomar sangue, …fazê-lo não parece estar incluído na expressa vontade de Deus ao proibir o sangue como alimento. Seria, portanto, assunto de decisão individual quanto a aceitar ou não tais tipos de medicação.
Ou seja, o que antes era proibido a partir desta data foi liberado. Pergunta: Quantas Testemunhas de Jeová morreram por seguir a orientação anterior? Isso não traz culpa de sangue?

E sobre a não permissão de doação e uso de órgãos?

A partir de 1980 foi decidido que os anciãos congregacionais não tomariam mais ação judicativas contra quem aceite um transplante de órgãos. Esclarecem que “não parece às Testemunhas que a Bíblia faça comentários diretos sobre transplantes de órgãos, por conseguinte, as decisões quanto a transplantes de córnea, de rins, ou de outros tecidos, precisam ser feitas pelas Testemunhas individualmente.” conforme a Sentinela de 1/9/1980 pág. 31; Como Pode o Sangue Salvar a Sua Vida?, 1990, pág. 28.
No entanto, entre 1967 e 1980, eram considerados como puro canibalismo. A transgressão era passível de ação judicativa. As referências aos transplantes nas suas publicações foram sempre negativas, durante este período. Eram extremamente desaconselhados. (A Sentinela de 15/11/1967 pág. 702 em inglês)

Imagine quantas pessoas que morreram neste período, por seguirem as orientações do Corpo Governante?!!?!

E mais recentemente sobre o uso dos derivados de sangue? Não tenho aqui agora as menções nas literaturas sobre estes casos mas todos sabemos que isso foi ensinamento durante muitos anos e a bem pouco tempo ainda não era permitido a utilização de nenhum derivado do Sangue. Posteriormente tornaram isso um assunto de consciência, permitindo a cada irmão decidir e agora, mais recentemente, novas publicações já falam de maneira bem mais condescendente sobre o assunto.

Bem, poderia continuar citando outros pontos também, talvez alguns que você sequer conheça, como a morte de milhares de Testemunhas de Jeová em Malaui, por conta de uma orientação díspares do Corpo Governante, orientação esta que posteriormente foi totalmente antagônica e favorável aos irmãos do México, para uma circunstância exatamente idêntica.

Então, mediante tudo isso, a pergunta que eu lhe faço é: Como fica a culpa de sangue das Testemunhas de Jeová, da Associação Torre de Vigia e do Corpo Governante perante todos estes casos? Nas costas de quem deverá recair esta culpa de sangue, por milhares de mortes que ocorreram por conta de orientações dadas?

Bem, se me acreditar que eles estão livres desta culpa de sangue, pois fizeram a vontade de Jeová, uma vez que eram o canal de comunicação dele com a terra, eu vou lhe perguntar quem os colocou nesta posição? Eles mesmo? Muito confortável isso, não é mesmo?

No entanto, não poderia a Igreja Católica se defender da mesma forma e dizer que não tem culpa de sangue, porque faziam o que Deus ordenou?

Mas a Associação das Testemunhas de Jeová é clara em dizer que o fato da Igreja Católica reconhecer seus erros, isso não a isenta da Culpa de Sangue, veja: “No entanto hoje a igreja reconhece o seu erro e pede desculpas publicamente por apoiar estas e outras ações. Será que este reconhecimento do erro a isenta da culpa de sangue?”

Mas a pergunta que surge é: Será que Deus ordenou/orientou a igreja católica a agir daquela forma? Será que Deus ordenou/orientou as Testemunhas de Jeová a agir daquela forma?

Pois é, uma análise fria nos permite concluir que muito provavelmente não houve nenhuma orientação divina em nenhum dos dois casos, houve apenas o desejo dos homens, a vontade humana sendo vendida e difundida como vontade de Deus.

Ainda, o que vemos é uma conduta muito melhor e mais nobre da Igreja Católica em reconhecer seus erros do passado, enquanto vemos a hipocrisia e a dissimulação das Testemunhas de Jeová em tentar esconder este período ou mesmo desdizer

E por fim, se compreender que as Testemunhas de Jeová tem mesmo culpa de sangue, com que coragem vai de casa em casa falar da culpa de sangue da Igreja Católica, uma vez que a sua denominação religiosa também tem? Só mesmo sendo muito falso e hipócrita para agir desta forma, concorda?

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =