Indo além do que está escrito

Lemos em I Corintios: 4:6 “Não vades além das coisas que estão escritas”, a fim de que não fiqueis individualmente enfunados a favor de um contra o outro.

E em Mateus 15:1-9 lemos: Chegaram-se então a Jesus alguns fariseus e escribas, de Jerusalém, dizendo: 2 “Por que infringem os teus discípulos a tradição dos homens dos tempos anteriores? Por exemplo, não lavam as mãos quando estão para tomar uma refeição.” 3 Em resposta, disse-lhes: “Por que é também que vós infringis o mandamento de Deus por causa da vossa tradição? 4 Por exemplo, Deus disse: ‘Honra a teu pai e a tua mãe’; e: ‘Quem injuriar pai ou mãe, acabe na morte.’ 5 Mas vós dizeis: ‘Quem disser ao seu pai ou à sua mãe: “Tudo o que eu tenho, que da minha parte te poderia ser de proveito, é uma dádiva dedicada a Deus”, 6 este absolutamente não deve mais honrar a seu pai.’ E assim invalidastes a palavra de Deus por causa da vossa tradição. 7 Hipócritas! Isaías profetizou aptamente a vosso respeito, quando disse: 8 ‘Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está muito longe de mim. 9 É em vão que persistem em adorar-me, porque ensinam por doutrinas os mandados de homens.’”

Em ambos os textos em alguns outros, a Bíblia exorta o perigo de ir além do que está escrito e como isto é detestável, ou seja, transformar em lei de Deus, as leis dos homens.

Lembro por exemplo um costume fariseus que orientava que se lavassem os braços até os cotovelos, antes das refeições.

Note que isso era totalmente coerente com lei, uma vez que a lei pedia para que se lavasse as mãos antes das refeições e uma vez que era muito comum se sentar próximo à mesa durante as refeições, em almofadas, ou bancos bem baixo, era frequente ver uma pessoa debruçada sobre esta. De que adiantaria então lavar as mãos se a pessoa acabava geralmente encostando todo o braço na mesa, até mesmo o cotovelo?

Então, a exortação dos fariseus estava totalmente alinhada com a palavra de Deus e por isso eles criaram esta exigência, de se lavar até os cotovelos. Não dá pra negar que isso era zelo pela orientação dada nas escrituras.

No entanto, como foi que Jesus encarou isso?

Como Jesus encarou o fato dos fariseus criarem instruções adicionais, que iam além do que estava escrito?

Bem, nem preciso falar, ambos sabemos e também já foi dito ai em cima.

Então, com isto em mente, vamos analisar algumas orientações do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová para seu povo.

Testemunhas de Jeová não podem:

1) Fumar
2) Comemorar aniversário
3) Comemorar dias das mães, dos pais, dos namorados, das crianças
4) Os homens usarem barba
5) Não brindam
6) São altamente desincentivos em se formar no ensino superior
7) Dentre muitas outras coisas…

Surge então a pergunta:

Muito embora algumas destas coisas podem até ser um desdobramento de algumas orientações bíblicas, seria correto proibi-las, transformando-as em regras ao ponto de até mesmo desassociar quem pratica algumas delas?

Não seria isso ir além do que está escrito, se igualando desta forma totalmente aos fariseus do primeiro século, que por zelo também pediam para que se lavassem até os cotovelos, no entanto, foram merecedores dos mais pesados julgamentos de Jesus para com estes?

Não estariam as Testemunhas de Jeová merecendo o mesmo julgamento dado aos fariseus, por irem além do que está escrito, ensinando como se fossem de Deus, mandados de homens?

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + quinze =